sexta-feira, 20 de agosto de 2010

México - Parte IV

Depois de visitar Chichen Itza, seguimos em direcção ao Cenote Ik kil.
Na Península de Yucatán, podemos encontrar vários cenotes, que são grutas de rocha calcária que absorvem toda a água das chuvas, criando lagos/poços de água doce. Nesta zona, os rios são subterrâneos e encontram-se todos interligados entre si.
Ao contrário de muitos cenotes, que ainda mantêm a parte superior da gruta, o Cenote Ik kil tem o seu topo completamente a descoberto, no meio de um jardim tropical.
Para chegarmos ao cenote temos de descer várias escadas, pois este tem uma altura imensa. A profundidade do nível da água chega aos 25 metros e a água é geladinha… Apesar do imenso calor que estávamos a sentir, não me apeteceu nada mergulhar no cenote… Mas valeu a pena esta visita para contemplar mais esta maravilha do México.



Conforme planeado na excursão para este dia, fomos almoçar à Hacienda La Guadalupana, onde fomos recebidos, mais uma vez pelos Mariachis e tivemos direito a um almoço ao ar livre com espectáculo de danças típicas de Yucatán.
Depois do almoço, assistimos ao espectáculo tradicional de rodeio mexicano protagonizado por vários homens e mulheres da Hacienda.


Daí seguimos para Valladolid e aqui sim foi possível ver uma cidade verdadeiramente mexicana, com cafés típicos, lojas, igreja e uma praça muito bonita onde existiam muitos bancos chamados “o banco dos namorados, devido à sua construção que permite que duas pessoas se sentem virada uma para a outra.



Terminada a excursão, voltamos ao hotel na camioneta, sempre com o ar condicionado ligado! Nessa noite, e à semelhança do que fizemos quase todos as noites, fomos jantar ao restaurante buffet, depois assistimos ao espectáculo no anfiteatro do hotel e por fim fomos até à Hacienda D. Isabel beber um refresco na esplanada e assistir à musica ao vivo da banda do Bahia Prinicipe.

1 comentário:

  1. Adorei a foto de vocês os dois nas cadeiras dos namorados!

    ResponderEliminar

 
footer