sábado, 30 de abril de 2011

Açores: Parte II - Sete Cidades e Mosteiros

O tão esperado dia da viagem aos Açores chegou e começou logo de madrugada. Como queríamos chegar bem cedinho ao nosso destino para aproveitar o máximo do dia, tivemos de optar pelo voo com escala em Lisboa (Porto – Lisboa – Ponta Delgada) pois, só tínhamos voo directo do Porto da parte da tarde.


O sacrifício valeu bem a pena e assim tivemos a oportunidade de pela primeira vez descolar a partir do aeroporto da capital e apreciar Lisboa vista do céu.


Parque das Nações


Ponte Vasco da Gama


Chegamos a Ponta Delgada perto das 09h30, hora local, já que nos Açores regista-se uma hora a menos que no continente.


Na aproximação ao aeroporto de Ponta Delgada, conseguimos ver todo o lado sul da ilha de São Miguel, desde Povoação, Vila Franca do Campo, Lagoa até Ponta Delgada.


Ilhéu de Vila Franca do Campo


Marina de Ponta Delgada


Fizemos a viagem pela TAP no avião “Luís de Freitas Branco”, nome de um compositor português e uma das mais importantes figuras da cultura musical portuguesa.


Após as formalidades de desembarque, levantamos o nosso carro de aluguer na delegação da rent-a-car Autatlantis, no aeroporto.


Carro de Aluguer – Mazda2


Tal como planeado para o 1º dia, seguimos em direcção à Lagoa das Sete Cidades.


A primeira paragem foi no Miradouro da Vista do Rei e tal como se previa, as condições meteorológicas não eram as melhores. Apesar do céu cinzento, conseguimos ver a lagoa na sua plenitude mas não conseguimos ver o efeito que o céu limpo produz na lagoa transformando-a numa lagoa de água azul de um dos lados e verde no outro lado.


Lagoa das Sete Cidades vista do Miradouro da Vista do Rei


Nesta zona existe um impressionante empreendimento abandonado que foi em tempos um hotel.



Seguimos depois em direcção à ponte que separa a lagoa em dois: de um lado um lago de águas de tom verde e do outro, outro lago de cor azul.


A próxima paragem foi na Lagoa e no Miradouro do Canário. Para chegar a este miradouro tivemos de deixar o carro para trás e percorrer o trilho pedestre.


Deste miradouro é possível avistar 3 lagoas: uma parte da Lagoa das Sete Cidades, a Lagoa de Santiago e outra mais pequena – a Lagoa Rasa.


Lagoa de Santiago vista do Miradouro do Canário


Muito perto do miradouro encontramos a Lagoa do Canário escondida por entre vegetação.


O próximo destino planeado era a freguesia de Mosteiros, onde tínhamos previsto almoçar e visitar os famosos ilhéus.


Antes do almoço, ainda tivemos tempo de visitar a igreja de Mosteiros que, tal como viemos a constatar em todas as igrejas da ilha, também nela predomina o branco e o negro das rochas de basalto, devido á origem vulcânica das ilhas dos Açores.

Igreja Paroquial de Mosteiros


O almoço teve lugar no Restaurante Gazcidla, conhecido pelo seu famoso polvo assado.



O polvo assado de Mosteiros faz jus à sua fama pois é realmente muito saboroso mas também muito picante para o meu gosto…



A principal atracção de Mosteiros são os seus ilhéus, um conjunto de quatro grandes rochedos existentes na costa desta freguesia.


No caminho de regresso a Ponta Delgada, ainda tivemos tempo de parar no Miradouro da Ponta do Escalvado.


9 comentários:

  1. Muito Fixe.
    Mesmo assim ainda tiveste um pouco de sorte com o tempo, pois conseguiste ver bem as lagoas das 7 cidades ( Por vezes o nevoeiro dificulta um pouco :) ) E quanto ao Polvo realmente é muito bom, temos por hábito fazê-lo com vinho de cheiro ou tinto, e a tradicional pimenta da terra realmente dá-lhe um picante, mas é algo a que estamos habituados. Gostamos muito de picante lol Ainda bem que gostaste. Fico a aguardar o restante report. Por acaso esse fim de semana, pensei bastante em ti, pois julgava que cá estavas lol afinal já vieste e voltaste lol

    ResponderEliminar
  2. Fui na 4ª feira e cheguei ontem de manhã :) Desculpa não te ter avisado ;)
    Quanto ao tempo, nessa manhã realmente esteve um pouco mau mas deu para ver perfeitamente a lagoa. Claro que o sol torna tudo mais bonito e gostariamos de ter visto o efeito verde e azul :)
    Em relação ao polvo, não percebi porque chamam polvo assado... Não é mais estufado?
    Nós perguntamos ao senhor do restaurante onde era assado e ele disse que era no tacho... Não percebemos lol
    Eu adorei São Miguel!! Foi uma experiência riquissima!! Só fico triste por aqui em Portugal não conhecermos tão bem os produtos da vossa terra como o chá Gorreana, o sumo de maracujá Kima, o ananás, os queijos... Eu e o meu marido já pensamos em abrir aqui uma lojinha de produtos regionais dos Açores!! De certeza que iamos ter sucesso :)
    Vai estanto atenta que vou fazer aqui o report completo desta viagem ;)

    ResponderEliminar
  3. Adorei estas ferias, pena saber a pouco...
    Ainda volto ;)

    ResponderEliminar
  4. Vou ler mais...polvo assado picante nem pensar...mas o chá, o sumo de maracujá, o ananás...tenho de experimentar. Agora o queijo ainda tem de me convencer.

    ResponderEliminar
  5. Voltei...até gostei bastante do queijo (e olhem que não sou lá grande apreciadora de queijos) mas na mala veio muito chá, compotas de frutas/legumes que nem conhecia (araçal ?, capucho?, ananas, licores e queijadas de Vila Franca.
    E apesar do mau tempo no primeiro dia até tive sorte nos seguintes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda este fim de semana bebi chá que trouxe dos Açores :)

      Eliminar
  6. Giro é quando não se sai de Portugal mas volta-se para Portugal....deve ser algum tipo de viagem psicadelica ;)

    ResponderEliminar

 
footer